Números do jogo em Portugal continuam a crescer

Jogadora de casino online

Números do jogo em Portugal continuam a crescer

De acordo com o relatório do 3º trimestre de 2019 publicado pelo SRIJ, a atividade de jogo online (quer na vertente das apostas desportivas, quer na dos jogos de casino) continua a crescer, com as entidades que prestam serviços de apostas em jogos de fortuna e azar a verem a sua receita bruta aumentar 8,8 milhões de euros. O número de jogadores registados tem vindo igualmente a crescer (mais 149 mil novos jogadores registados), a par dos sítios que prestam serviços de apostas desportivas ou de jogos de azar: existem mais 2 entidades licenciadas em relação ao período homólogo de 2018, num total de 18 entidades, 10 delas a explorar casinos online. Os valores despendidos em apostas acompanham a tendência de crescimento geral, ascendendo a 54 milhões de euros. Outro fator que demonstra o crescimento do jogo online em Portugal é o aumento da frequência de jogo entre os jogadores. Com efeito, no relatório do último trimestre de 2019, o SRIJ constatou que 33% dos jogadores realizou mais de uma aposta em jogos de casino.

Naturalmente, o crescimento da atividade gera maiores receitas fiscais para o estado; no passado trimestre, o Imposto Especial de Jogo Online recolheu mais 6,4 milhões de euros do que no 3º trimestre de 2018.

As preferências dos portugueses

A maioria dos jogadores portugueses tem entre 25 e 44 anos, e a maior parte dos novos registos verifica-se junto de menores de 35 anos, do que se conclui que o jogo online continua a ser uma atividade mais popular junto das camadas mais jovens da população.

Como já vem sendo habitual, os portugueses revelaram preferência por jogos de casino, em detrimento das apostas desportivas, com as slot machines a destacarem-se com grande proeminência. O segundo jogo preferido dos portugueses é a roleta francesa e o terceiro o poker. Quanto ao poker em modo de torneio, chega em quarto lugar nas preferências dos jogadores nacionais.

Exclusão

O número de jogadores que escolheram inibir-se de atividades relacionadas com o jogo online também revelou crescimento. Efetivamente, o número de jogadores que decidiram excluir-se aumentou em quase 5000, face ao valor apurado em junho. Dos 43,3 mil jogadores autoexcluídos, quase 87 000 excluíram-se de forma definitiva, enquanto 13% optaram por uma exclusão temporária. Estes números denotam a crescente consciencialização dos jogadores lusos para a causa do jogo responsável, o que é extremamente positivo.

Combate ao jogo ilegal

No último trimestre de 2019, o SRIJ ordenou o encerramento de um total de 24 sítios ilegais não licenciados, tendo bloqueado o IP de 12 desses sítios. No seguimento deste bloqueio, o SRIJ fez 13 participações ao Ministério Público, para instauração de processos-crime.

  • Data de publicação: 2020-01-08 05:46
  • Data de alteração: 2020-01-08 05:46