França apresenta quebras nos valores do jogo online

O mercado das apostas online cresce e as legislações um pouco por toda a Europa mudam e ajustam-se.

De qualquer modo, não é em todos os países que tais mudanças estão a trazer efeitos positivos na indústria. Falamos do caso da França que no primeiro trimestre deste ano viu as apostas na Internet caírem cerca de 26.5%.

Tal significa que os jogadores franceses andam a apostar menos, mas será apenas esse o âmago da questão? Uma das principais razões para tais números é a forte regulamentação com uma ainda mais rigorosa política fiscal.

Os analistas já tinham previsto este cenário e ao que parece tinham toda a razão. O problema em França é que muitos operadores de jogo online estão contra o sistema tributário em vigor.

O próprio presidente da Bwin, Norbert Teufelberger, tem mostrado o seu desagrado para com a situação. Nobert Teufelberger chega a dizer que devido a tais valores no sistema tributário, mais de 70% das apostas desportivas online podem estar a decorrer mercado paralelo (mercado negro).

É certo que o sector tem passado por muitas mudanças, mas os profissionais reclamam ainda muitos erros na actual legislação. Mais ainda, os resultados conseguidos servem para sustentar esta ideia e se não forem introduzidas novas medidas governamentais, a situação pode mesmo entrar em rota de colisão.

O problema, na opinião dos analistas, é que governo francês colocou taxas elevadas de impostos a fim de manter uma grande parte do negócio que posteriormente controlava como resultado do monopólio existente.

Assim, França poderá ver o negócio das apostas online se desviar totalmente para o mercado negro devido a uma alta carga fiscal. Ao contrário da França, países como a Espanha e Itália, tentam encontrar um caminho intermédio para a regulamentação e tributação.

O objectivo passa claramente por obter as valias fiscais, sem prejudicar a indústria, operadores e os seus jogadores. Assim, não é de estranhar que estes dois mercados apresentem bons resultados até agora.