França pondera alterar impostos sobre o jogo online

Como foi relatado várias vezes, a lei do jogo online em França era algo rígida, segundo a opinião dos operadores de jogo.

Muitos chegaram mesmo a abandonar o mercado devido às taxas elevadas que impediam o crescimento sustentado dos lucros.

A lei do jogo online foi regulamentada em Julho de 2010 mas o consenso nunca foi total.

Assim, o governo francês numa tentativa ainda mais ambiciosa de por termo a todas as reservas e controvérsias, discute alterações aos impostos previamente estabelecidos para o sector do jogo online.

A Autoridade Reguladora para os Jogos Online (ARJEL) propôs cerca de 65 possíveis alterações à lei já em vigor para que se possa alterar a cobrança no volume de negócios dos operadores online.

Aliás, esse é mesmo o problema que muitos operadores apontam: a taxação sobre o volume de negócios em vez de sobre os lucros!

Outra sugestão feita foi a cobrança de impostos fraccionada sobre os lucros: 55% nas apostas de cavalos, 38% nas apostas desportivas e 25% no poker.

Tal proposta é das mais populares já que muitos operadores online apoiam a ideia que julgam trazer mais competitividade ao mercado.

Independentemente do resultado, a ARJEL já foi amplamente louvada por parte dos operadores online que lhe reconhecem o esforço em torno da questão.

A França parece estar assim na linha da frente na regulamentação do jogo online a nível europeu, já que pode estar no horizonte nova emenda à actual legislação, trazendo mais consenso, equilíbrio e até o possível regresso de alguns operadores de jogo online.