gift

Liquidez partilhada no poker explicada

Liquidez partilhada no poker

Liquidez partilhada no poker explicada

Autor Ricardo Leal
Fevereiro 3, 2019
1461
0

No dia 4 de fevereiro, vai ser apresentado o relatório sobre a liquidez partilhada por Portugal, França, Itália e Espanha em poker online.

Desde há sensivelmente seis meses que as entidades reguladoras do jogo online de Portugal, Itália, França e Espanha resolveram unir esforços no sentido de criar uma liquidez única e partilhada de poker online entre os 4 países. O pacto entrou em vigor no dia 6 de julho de 2017. O grande objetivo da iniciativa era alcançar uma monitorização mais abrangente e uniformizada dos quatro mercados nacionais.

Vantagens para o Estado e jogadores

Se para as entidades reguladoras a vantagem da liquidez partilhada se prendia principalmente com a segurança e o rigoroso controlo do cumprimento da lei por parte dos distribuidores de poker online, para os jogadores existem outras vantagens para além da segurança acrescida (o que por si só é uma importante mais-valia). Com a partilha internacional da liquidez do poker online, os montantes em jogo são superiores, na medida em que são mais (muitos mais) os jogadores a contribuírem para o bolo final. Estudos recentes dão conta que em Portugal os prize pools terão crescido cerca de quatro vezes, graças a esta iniciativa.

Crescimento de apostas em poker online

Assim, não é de estranhar que os números das apostas em poker nos quatro países tenham crescido substancialmente desde a implementação do acordo internacional, na medida em que há mais em jogo e mais a ganhar. Em última análise, isto é vantajoso quer para jogadores quer para os Estados, que, desta forma, arrecadam mais receitas.

Ora, ao que tudo indica o relatório que vai ser apresentado na Ice London 2019 vai dar conta exatamente desta realidade: a partilha de liquidez no poker online fomenta a atividade, sem que o número de irregularidades associadas dispare. Muito pelo contrário, aliás.

Nesta medida, as entidades até agora envolvidas na iniciativa procuram a adesão de mais países da UE, predispondo-se a apoiar a nível legislativo todos os que pretendam aderir à iniciativa

Pokerstars.pt

Recordemos que em Portugal, de momento, o único distribuidor de poker online licenciado (e com partilha de liquidez) é a PokerStars, que, com a licença 005, opera jogos de poker em modo de torneio, na variante «Hold´em» e na variante «Omaha». No entanto, se o mercado português e os mercados internacionais parceiros vierem, de facto, a crescer de forma significativa, o mais natural é que outros agentes venham a procurar licenciamento junto do SRIJ, o que já se tem vindo a verificar com a entrada da marca 888 em Portugal, que também terá brevemente uma sala de poker vistual disponível. Naturalmente, o aumento da oferta regulada só trará vantagens aos jogadores portugueses.